medo de comprar imóvel

10 dicas para perder o medo de comprar imóvel

Você está com medo de comprar imóvel? Se sim, quero falar algo que pode deixá-lo mais tranquilo: é normal vir essa sensação com a maioria das pessoas que querem dar esse passo, principalmente em tempos tão incertos como os que vivemos hoje.

O fato é que, independente de qualquer crise econômica ou mundial, é muito comum que esse medo acabe nos visitando em situações decisivas, no caso da compra de um imóvel, sem dúvida é um investimento importante na nossa vida, por isso, queremos ter certeza de que estamos fazendo a coisa certa.

A boa notícia é que é possível sim comprar sem alimentar esse medo, de maneira segura, aplicando medidas relacionadas tanto a parte financeira quanto na escolha do imóvel em si que são necessárias e auxiliam nesse desafio.

Se você está na dúvida entre comprar ou alugar um imóvel (por ser mais seguro financeiramente), confira essas 10 dicas que preparei sobre perder o medo de comprar. Continue a leitura.

1. Faça um planejamento financeiro

Antes de pensar em comprar de fato o imóvel, eu sugiro que você comece olhando para as suas finanças. Caso você não tenha um planejamento financeiro é bom começar a pensar nesse tipo de suporte, que é essencial para quem quer fazer um investimento como esse.

Afinal, um dos maiores medos de comprar um imóvel é simplesmente não saber se você terá dinheiro para pagá-lo, seja à vista ou financiado. Por isso, eu sugiro que você comece olhando para o quanto você tem de dinheiro guardado para poder começar a pensar nessa decisão.

Feito isso, estipule um valor para ser a sua reserva de emergência, ou seja, é um valor que você vai mexer somente em casos específicos, que geralmente são gastos que você não tem como prever (emergências com saúde, por exemplo).

Depois disso, entenda quanto de dinheiro sobrou, bem como o quanto você pode poupar de dinheiro mês a mês. Faça esse planejamento e, conseguindo colocá-lo em prática, você vai conseguir entender qual é a melhor opção de compra e poderá dar esse passo com mais tranquilidade.

Pode ser que você tenha dinheiro para comprar uma casa à vista ou optar por financiar um apartamento. A resposta certa aqui é qual dos cenários se adéqua melhor à sua realidade.

2. Entenda como está o mercado

Um ponto inicial, que acredito ser decisivo nesse momento, é entender como anda o mercado imobiliário, principalmente quando estamos em uma situação tão atípica, vivendo um cenário econômico muito peculiar.

O que já posso adiantar para você é que, por mais que a crise econômica seja um fato, existem diversos motivos que mostram que é um bom momento para quem está disposto a investir em um imóvel. 

Um deles é o simples fato das taxas de juros estarem cada vez menores. Isso está acontecendo, pois o governo liberou muitos incentivos para o mercado de financiamento de imóveis, além da taxa Selic ser uma das menores da história.

Trago aqui o exemplo da própria Caixa Econômica Federal, que está empreendendo medidas que facilitam o financiamento, tornando o processo menos burocrático e cada vez mais digital. 

Junto a isso, destaco que há um grande interesse de boa parte dos donos de imóveis em vendê-los, o que faz com que os preços estejam abaixo quando comparado com um cenário normal. Por isso, é bom entender certinho como está a dinâmica do mercado para ver como a sua situação pode se encaixar nele.

3. Escolha o tipo de imóvel que você quer adquirir

Uma das maneiras de perder o medo de comprar imóvel é simplesmente sair do campo da especulação dos seus interesses e definir de fato o que você quer. Ou seja, é preciso tomar uma decisão. Estou falando de escolher o tipo de imóvel que você quer adquirir.

Pode parecer bobagem, mas entender isso ajuda a reduzir muito a ansiedade, além de poupar o seu tempo na pesquisa, evitando encontrar imóveis que talvez não sejam ideais para você ou que o seu valor represente algo muito além do que você pode pagar.

Tomar essa atitude ajuda muito a conciliar as expectativas com a sua realidade financeira e a criar um plano de ação. Afinal, caso você opte por comprar um imóvel que comprometa a sua renda apenas porque achou ele incrível, é bem provável que você se arrependa dessa decisão no futuro. Acredito que é disso que você tem medo, não?!

Então, escolher o tipo de imóvel ajuda a ter mais o “pé no chão” e tomar uma decisão mais consciente a curto, médio e longo prazo.

4. Pesquise sobre as modalidades de pagamento

Quando você começa a entender as possibilidades que tem em mãos, é provável que fique cada vez mais seguro dessa decisão, já é um grande passo. Por isso, é possível começar ir além nessa jornada, conhecendo de fato quais são as modalidades de pagamento disponíveis no mercado e que são acessíveis para você.

As possibilidades mais comuns são, simplesmente, pagar o imóvel à vista, ou então financiá-lo. Se você tem condições de optar pela primeira opção, indico esse como o melhor caminho, visto que você não vai acumular uma dívida e ainda vai ter a oportunidade de negociar um bom desconto, pois, nos dias de hoje, poucas pessoas optam por esse tipo de pagamento e é uma grande vantagem para o vendedor.

Porém, sei que nem sempre é possível, por isso, existem os financiamentos bancários. O mais comum deles é o financiamento da Caixa, o Programa Minha Casa Minha Vida, mas é preciso checar se o imóvel a ser adquirido se encaixa no programa, bem como outros fatores que podem influenciar isso.

Além disso, existem muitos outros financiamentos de outros bancos. Por isso, é preciso pesquisar e entender o que cada um oferece de facilidade e quais são as suas taxas de juros, principalmente.

Feito isso, é possível entender qual deles é mais vantajoso e tomar a decisão correta.

5. Conheça todos os custos da transação

Um ponto que muitas vezes passa batido, e acaba pegando muitas pessoas de surpresa é não levar em conta todos os custos da transação. Saiba que, quando um imóvel é comprado, não é só o seu valor que está dentro do custo total da transação.

Por isso, te digo que é preciso levar em conta além desse valor, o ITBI (Impostos de Transmissão de Bens Imóveis), as taxas de cartório, comissão de corretores e imobiliárias, se for um financiamento, tem a taxa de juros, entre outros custos.

A questão aqui é que o medo de comprar um imóvel pode ser gerado pelas possíveis surpresas desagradáveis que essas despesas não previstas podem gerar. Então, se você já tem essa consciência de que os gastos vão além do valor do imóvel, é um passo para se preparar e perder esse medo.

Mas, claro, além da consciência de que o custo não é só do imóvel, é preciso fazer o levantamento deles para ter mais segurança no momento da compra. Lembrando também que muitos imóveis exigem reformas para adaptação. Então, se você se sentir confortável, pode levar esse custo em conta também.

6. Entenda as suas necessidades

Uma dica que complementa a dica número 3 é você simplesmente entender as suas necessidades e como elas podem ser sanadas com a compra de um imóvel. Dentro disso, a necessidade mais comum que vejo por aí, é a de sair do aluguel. Então, é mais que legítimo definir esse objetivo e buscar caminhos para que esse sonho se torne realidade.

Outra necessidade pode ser, no caso de quem já tem o seu primeiro imóvel, diversificar os seus investimentos, por exemplo. Então, a partir disso, você poderá entender como a compra de um imóvel e que tipo de imóvel vai ajudar a cumprir esse objetivo.

Pode não parecer, mas entender bem isso também é um passo para poder ter mais segurança na decisão e perder o medo de dar o passo em direção a compra. Claro, que é legal também aprofundar um pouco mais nessas necessidades, olhando para a configuração do imóvel em si.

Se você está comprando um imóvel para morar, é importante definir o seu tamanho, número de quartos, localização ideal, entre outros pontos importantes.

7. Verifique a documentação do imóvel

Quem nunca ficou com medo de comprar um imóvel que esteja irregular, sem a documentação certa, que carregue inadimplência de imposto, entre outras possibilidades ruins? Pois bem, é possível que isso aconteça sim, mas isso não precisa ser um risco se você tiver atenção.

Em alguns casos, é comum que imóveis que tenham um preço muito barato sejam até avaliados como mau negócio, pois há esse olhar do consumidor desconfiado de que alguma coisa errada tem ali. Mas é muito fácil checar isso! 

Antes de efetivar a compra é possível solicitar a sua escritura, seu registro e as certidões negativas de débito. Uma imobiliária poderá ajudar muito bem nesse processo, então, não precisa ter medo da possibilidade de não fazer um bom negócio, se esse for o motivo.

8. Faça uma boa pesquisa

Um medo comum também é não ter em mãos uma variedade boa de opções para decidir comprar. Sendo assim, muitos compradores acabam ficando travados, pois acreditam que não vão ficar satisfeitos com os poucos imóveis que tiveram a oportunidade de conhecer.

Para isso, a minha recomendação principal é que você aumente esse volume de possibilidades por meio da pesquisa. O primeiro passo é relativamente simples, é possível pesquisar na internet mesmo, em portais, como o da Colônia Imóveis, os mais diversos tipos de imóveis.

Feito isso, selecione os que se enquadram dentro dos seus interesses e perfil e é hora de agendar visitas. Assim, conhecendo os imóveis de perto ficará mais fácil tomar decisões sem medo e com muito mais segurança.

9. Evite entrar em uma negociação conflituosa

Outro medo constante que vejo é a possibilidade de que a negociação caminhe para o lado de se tornar um conflito entre comprador e vendedor. Muitas pessoas, só de pensarem que poderão ter dores de cabeça com isso, já desistem de tentar comprar uma casa ou apartamento.

O que tenho a dizer é que isso pode ser facilmente evitado, pois, é possível conhecer logo de cara o perfil do vendedor e entender se valerá a pena fazer negócio com ele, por exemplo. 

No mais, é sempre bom ter um profissional intermediando esse contato, a figura do corretor de imóveis e de uma boa imobiliária é a que eu mais indico. Isso ajuda a neutralizar qualquer tipo de conflito.

Da sua parte, é sempre bom iniciar uma relação em que o ganha-ganha seja uma realidade, com empatia e respeito. Então, ir com esses objetivos, fazendo a sua parte, é bem difícil que isso aconteça.

E caso aconteça de fato, você não será obrigado a continuar, basta encerrar as negociações e olhar para outro imóvel, simples assim. Então, fique tranquilo que é possível sim evitar qualquer negociação que tenha atrito.

10. Conte com um corretor de imóveis

Por fim, a minha última dica é que você possa contar com a ajuda de um corretor de imóveis. Isso ajuda muito a suprir o medo de estar sozinho na negociação ou entrar em um negócio que seja “uma furada” ou algo abusivo.

Saiba que contar com um corretor, além de ajudar com isso, trará segurança no sentido de que é uma figura que conhece o mercado, podendo orientar o melhor caminho a ser seguido, tanto na procura do imóvel quanto na efetivação da compra.

Pode ter certeza que um bom corretor será um ótimo “braço direito” nessa caminhada, é como se fosse o especialista lhe assessorando nessa decisão tão importante que você está tomando.

Além de um bom corretor, um ótimo caminho para perder o medo de comprar imóvel é buscar uma boa imobiliária que vai lhe assessorar nesse processo, do começo ao fim. Nesse caso, sugiro fortemente a Colônia Negócios Imobiliários, que além de ser uma imobiliária tradicional, tem a sua plataforma para ajudar a encontrar o imóvel ideal para cada comprador.

Quer saber mais como podemos ajudar? Então, entre em contato conosco!

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.